Quer criar a sua própria marca de roupa?

Se sim, está no sitío certo, ao longo do post iremos ajudar-lhe dando dicas para que o possa fazer com sucesso. Só precisa de bom senso, bom gosto e evitar excessos, tanto no que toca ao otimismo como ao pessimismo.

  1. Estude o mercado. Não se importe se perder muito tempo com isso. Analise quem vai ser o seu público-alvo e quem serão os seus concorrentes. Leia e absorva toda a informação que puder e, graças à Internet, ela é gratuita e está ao seu alcance sem precisar de muito esforço. E não se preocupe se não for capaz de reter tanta informação, se receber apenas 25% do que há, já terá 25% a mais do que tinha quando começou! 

 

  1. Se não é designer, mas tem ideias, procure um designer independente. Um bom designer profissional deve capturar as suas ideias e materializá-las em esboços e desenhos. Além de olhar para o seu trabalho ou o que lhe custa, precisa de ter uma boa relação comunicacional com ele para que a troca de ideias seja possível. 

 

  1. Concentre-se no “make branding. A longevidade de uma marca é baseada na lealdade dos seus clientes. Nem tudo é para obter um bom design, mas para vincular a marca a um estilo e permanecer nele. 

 

  1. Se estiver a pensar em terceirizar a produção, ao procurar um fabricante ou serigrafista, seja honesto e realista com ele. Certifique-se de que tem uma ideia e saiba o que fazer com ela antes de contactá-lo. 

 

  1. Muitas marcas, inicialmente lançam apenas alguns designs para começar, geralmente limitando o risco. Coloque-se no lugar dos seus clientes e imediatamente irá perceber que isso é muito pouco, não gera entusiasmo ou confiança. Com as novas técnicas de impressão digital pode apresentar muitos projetos com um investimento mínimo. 

 

  1. Reinvestir. Tanto em desenhos quanto em ações. O tempo para recolher virá, por enquanto tem de semear. 

 

  1. Seja paciente. Consolidar uma marca exige e em grandes doses. Se puder, cuide e fique de olho noutros projetos enquanto isso acontecer. 

 

  1. Faça um plano de marketing. Não pense que com bons desenhos os clientes vão encontrá-lo. É exatamente o contrário:tem de encontrar meios para ir ao encontro do consumidor. Coloque a marca mesmo à frente dos seus narizes as vezes que forem necessárias e não pare de ter paciência. Outra coisa importante: o boca-a-boca, deve falar sobre isso em todos os espaços que frequenta: fóruns, blgs, redes sociais… Isso fará com que a sua marca cresça significativamente! 

 

  1. Não fique obcecado em ganhar dinheiro. Esse será um objectivo secundário. Concentre-se em promover a marca, fazendo bem os “trabalhos de casa”. 

 

  1. Tente aproveitar ao máximo seu trabalho. Para isso, deve ser capaz de se identificar com a sua marca, caso contrário, será muito difícil torná-la credível. E será difícil para si interpretar o papel que corresponde a si mesmo. O vestuário da sua marca deve ser algo que você usaria e com orgulho. 

 

  1. Não copie. Ok, ok, todos nós somos “influenciados” por outros designers… além disso,está comprovado de que quase nada é 100% original (seja intencional ou não) … mas não exagere com o uso dessas licenças. 

 

  1. Não fique sobrecarregado. Por exemplo, se não poder incluir na coleção inicial algumas tiras padronizadas de que gosta bastante … se não chegar a tempo de lançar uma embalagem personalizada… bem, NÃO O FAÇA!! 2 boas razões: se quiser competir com a capacidade de trabalho de grandes empresas, nada irá dar certo. Além disso, deve ter stock: na construção de uma marca, a consistência é melhor do que a abundância. 

 

  1. Participe em feiras de roupas e tecidos. Visite as grandes marcas e os pequenos independentes. Deste modo irá ver as novas tendências e poderá se inspirar… 

 

  1. A parte mais difícil de criar uma linha de roupas é conseguir o reconhecimento das maiores cadeias de roupas.Os compradores só pensam em encontrar coisas que vendam bem. Portanto, não se esqueça de que aqueles que têm a palavra final sobre se os seus produtos devem chegar às lojas são os compradores. 

 

  1. Seja realista quanto astock. Por exemplo, já pensou acerca do que aconteceria se um comprador de grandes quantidades lhe pedisse 1.000 unidades para várias lojas? 

 

  1. Proteja-se. Registe e patenteie. É impossível patentear tudo, mas seja seletivo e faça-o no mais importante. Para vender tem de mostrar e isso torna possível a cópia por parte de outras pessoas. Não é justo, mas assuma isso como algo inevitável de agora em diante. Se deixar evidências de que fez isso primeiro (num um blog, numa revista especializada, …), pode até ser uma ajuda para a difusão da sua marca. 

 

  1. Crescer rápido demais pode não ser bom. Poderá morrer de sucesso se não for capaz de ajustar a demanda ao que realmente é capaz de atender dentro dos prazos acordados. Aprenda a renunciar pedidos, é melhor do que aceitá-los e não conseguir atendê-los. 

 

  1. Pense sempre a longo prazo: planeie sempre a pensar “daqui a 6 meses”, pense na coleção de verão quando estiver a meio ou a inicios do inverno e assim sucessivamente. Visite os compradores agora com essas coleções do futuro. 

 

 

Se tiver mais ideias para a criação de uma marca, não hesite em mandar-nos mensagem ou comentar abaixo, esta não é uma lista completa, existem muitas mais ideias e dicas. 

Esperemos que este post o possa ajudar de alguma forma! 

» Consulte-nos já: telefone 256 890 178 – screencentury@gmail.com

Screen Century | 2011-2018 © All Rights Reserved

made by Screen Century